Câmara Municipal de São José de Mipibu realizou Sessão Solene para entrega de títulos honoríficos

Na noite da última sexta-feira (17), aconteceu a sessão solene de entrega de títulos de cidadania e mérito legislativo.

Os agraciados foram pessoas dos diversos setores da sociedade que contribuem ou contribuíram diretamente para o desenvolvimento da cidade de São José de Mipibu.

Esteviveram presentes na solenidade o vice-prefeito Joelmo Teles, a Chefe de Gabinete do município, Thaiane Varela a Secretária de Segurança e Defesa Social da Cidade do Natal, Sheyla Freitas além vereadores e diversas personalidade e autoridades.

A vereadora e Presidente da Câmara Municipal de São José de Mipibu, Carla Simone, destacou o empenho de cada vereador e de sua equipe para deixar a população mipibuense mais perto da casa do povo, enfatizou os diversos projetos realizados no primeiro ano de gestão à frente da casa legislativa como, a Líve Solidária, Câmara Cidadã, dezembro das artes e voz de Mipibu, valorizando cada mipibuense além de trazer benefícios diretos e indiretos para a população. Simone encerrou suas palavras desejando um 2022 de muita saúde e sucesso a todos.

Esse é o legislativo mais perto de você.

Primeira morte pela variante Ômicron nos EUA foi de pessoa não vacinada

Um homem no Texas, que morreu após contaminação pela variante Ômicron do coronavírus, não estava vacinado e já havia testado positivo para Covid-19, de acordo com um comunicado do serviço de saúde pública do Condado de Harris, onde morava.

“O indivíduo tinha maior risco de complicações graves pela Covid-19 por não estar vacinado e a problemas de saúde subjacentes”, escreveu.

O caso é a primeira morte relacionada à Ômicron confirmada nos Estados Unidos.

A juíza do condado Lina Hidalgo anunciou a morte nesta segunda-feira (20), dizendo que o homem tinha por volta de 50 anos.

A Ômicron causou mais de 73% dos novos casos de coronavírus nos EUA na semana passada, tornando-se a cepa dominante – antes dela, o maior problema era a Delta -, de acordo com dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Algumas pesquisas mostraram que essa nova variante pode causar formas mais leves de Covid-19 quando comparada às outras cepas, mas novas investigações ainda estão em andamento.

Os especialistas afirmam que a vacinação e as doses de reforço continuam sendo a melhor maneira de diminuir o risco de doenças graves ou morte pela Covid.

“Claro, vamos ter hospitalizações, mortes, tragicamente, como o que vimos agora, mas as evidências mostram que para os vacinados, com reforço, é muito menos provável que acabem em um hospital”, disse Hidalgo.

*Com informações de Katherine Dillinger, da CNN

CNN Brasil

Pesquisa Ipespe: Lula tem 44%, Jair Bolsonaro, 24% e Sergio Moro, 9%

O Ipespe divulgou nesta segunda-feira (20) uma pesquisa realizada entre 14 e 16 de dezembro com 1 mil entrevistados de 16 anos ou mais, por telefone, sobre a intenção de voto para presidente em 2022.

No primeiro cenário, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está com 44%, enquanto o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), possui 24% e o ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro (Podemos) tem 9%.

Na segunda dinâmica, em que são considerados mais candidatos, Lula tem 43%, Jair Bolsonaro conta com 23% e Moro 9%.

Cenário A

O primeiro cenário considerou Jair Bolsonaro (PL), Sergio Moro (Podemos), Ciro Gomes (PDT), João Doria (PSDB), Felipe d’Ávila (Novo) e Rodrigo Pacheco (PSD).

  • Lula – 44%
  • Jair Bolsonaro – 24%
  • Sergio Moro – 9%
  • Ciro Gomes – 7%
  • João Doria – 3%
  • Felipe d’Ávila – 1%
  • Rodrigo Pacheco – 1%
  • Nenhum, não iria votar, branco e nulo  – 9%
  • Não sabe e não respondeu – 3%

Cenário B

O segundo cenário é mais amplo, se comparado com o primeiro. O Ipespe considerou os nomes Cabo Daciolo (Brasil 35), Simone Tebet (MDB) e Alessandro Vieira (Cidadania). Vale destacar que na última quinta-feira (16), Daciolo desistiu da candidatura a presidente para apoiar Ciro Gomes. 

  • Lula – 43%
  • Jair Bolsonaro – 23%
  • Sergio Moro – 9%
  • Ciro Gomes – 7%
  • João Doria – 3%
  • Cabo Daciolo – 1%
  • Simone Tebet – 1%
  • Rodrigo Pacheco – 1%
  • Alessandro Vieira – 1%
  • Felipe d’Ávila – 0%
  • Nenhum, não iria votar, branco e nulo  – 8%
  • Não sabe e não respondeu – 1%

2º turno

O Ipespe também realizou um levantamento caso Jair Bolsonaro e Lula estivessem no segundo turno com outros candidatos:

  •  Lula com 53% x Bolsonaro com 31%
  •  Lula com 52% x Sergio Moro com 33%
  •  Lula com 52% x Ciro Gomes com 25%
  •  Lula com 53% x João Doria com 22%
  •  Jair Bolsonaro com 33% x Ciro Gomes com 44%
  •  Jair Bolsonaro com 43% x João Doria com 43%

CNN Brasil

Fim de ano é armadilha para compradores compulsivos

Um armário cheio de roupas ainda sem usar, peças e produtos comprados sem necessidade e a sensação de prazer imediato que desaparece dias após a compra foram os sinais que fizeram a jornalista Flávia Vargas, 44 anos, perceber que estava comprando por compulsão. 

“Comecei a ter compulsão por compras durante a pandemia. No início do isolamento social, descobri dois aplicativos de vendas e não parava de comprar. Dava uma sensação de prazer, de compensação pela ansiedade do momento. As compras se tornaram incontroláveis. Meu armário ficou abarrotado, inclusive com roupas que ainda não usei”, conta. 

Mesmo com a flexibilização das medidas de isolamento e a abertura do comércio, ela continuou comprando pelos aplicativos. “Eles oferecem tantos atrativos que se tornou um hábito entrar neles todos os dias, ainda que fosse apenas para dar uma olhadinha e favoritar as peças que mais gostei. Não cheguei a me endividar, mas os gastos prejudicaram muito meu controle orçamentário e meu fluxo de caixa, sendo que sempre fui bastante regrada com dinheiro.”

Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 8% da população mundial sofre de oniomania, compulsão por compras, também chamada de consumismo compulsivo e Transtorno do Comprar Compulsivo (TCC).

A patologia é responsável pelo giro de mais de US$ 4 bilhões na América do Norte. Entre 80% e 94% dos compradores compulsivos são mulheres, cujo transtorno costuma surgir por volta dos 18 anos, mostrou pesquisa publicada na Revista Brasileira de Psiquiatria.

Para o psiquiatra Adiel Rios, o isolamento social imposto pela pandemia de covid-19 contribuiu para o aumento no número de casos desse transtorno.

“Com as portas fechadas, muitas lojas migraram para o e-commerce e quem já atuava neste modelo, reforçou a atuação nas vendas online. E os aplicativos de redes nacionais e internacionais são uma grande armadilha para os compradores compulsivos: eles disponibilizam cupons de descontos, pontos para cada compra realizada, que são revertidos em desconto para novas compras, entre outros atrativos. Para quem possui o transtorno, acabou sendo uma forma fácil de comprar, e de maneira descontrolada”, detalha o médico que atua no Programa de Transtorno Bipolar do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Segundo ele, mesmo com a abertura do comércio, o comprador compulsivo continua utilizando as ferramentas disponíveis no ambiente online, pois basta pegar o celular, entrar no aplicativo e comprar o que quiser, a qualquer hora e em qualquer lugar.

 “A única forma de interromper este ciclo vicioso seria uma utilização racional ou até mesmo um distanciamento destes aplicativos. Enquanto eles estiverem disponíveis no celular, será muito difícil impedir as compras compulsivas, principalmente se a pessoa estiver ansiosa, precisando preencher um vazio ou suprir alguma carência”, afirma Rios, pesquisador no Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP.

Quando percebeu que havia algo por trás da compulsão por compras, Flávia procurou ajuda médica especializada e, hoje, mantém acompanhamento com psiquiatra e psicólogo. “Fui diagnosticada com depressão e transtorno bipolar. Estes quadros geraram em mim sintomas como ansiedade e comportamentos impulsivos. Estou me tratando com antidepressivo e lítio, que ajuda a conter as compulsões, além de acompanhamento psicológico.” 

Além da medicação, a jornalista tem procurado seguir as orientações dos especialistas em relação ao comportamento no dia a dia. “Quando estou no celular, evito acessar os aplicativos [de compras], algo que era impossível antes do tratamento. Na época, eu simplesmente olhava as peças, gostava e comprava. Hoje, nas poucas vezes que entro e gosto de alguma coisa, consigo pensar com mais racionalidade e me questiono: será que eu realmente preciso disso?”. 

Continue lendo…
Governo dá 24 horas para Itapemirim explicar suspensão de voos

Com as atividades suspensas desde sexta-feira (17), a Itapemirim Transportes Aéreos terá 24 horas para esclarecer a paralisação das operações ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. A companhia foi notificada pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e pode ser punida com base no Código de Defesa do Consumidor.

Além de pedir informações, a Senacon exigiu que a companhia aérea elabore um plano de atendimento aos passageiros afetados. Caso os passageiros não recebam assistência nem sejam realocados em outros voos de companhias aéreas, a Itapemirim poderá receber sanções administrativas, como multas.

Entre as informações pedidas pela Senacon, estão os motivos por que o atendimento ao consumidor foi interrompido, tanto presencialmente, como em plataformas eletrônicas e por telefone. Os passageiros afetados pelo cancelamento dos voos foram orientados a procurar lugares em outras companhias por funcionários dos aeroportos. A Itapemirim não manteve trabalhadores nos terminais de embarque e desembarque, após suspender as operações.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a ITA, como também é chamada a companhia, tinha 513 voos previstos entre sexta-feira até 31 de dezembro. A empresa suspendeu as atividades por causa de uma reestruturação interna.

Governo passa a exigir comprovante de vacinação para entrar no Brasil

O governo federal editou norma hoje (20) passando a exigir teste negativo para covid-19 e comprovante de vacinação para viajantes vindos de outras nações que desejem entrar no país por via aérea. As novas regras entram em vigor nesta segunda-feira.

Segundo a portaria interministerial, o comprovante de vacinação é válido com vacinas para combate à covid-19 aprovadas no Brasil, no país onde a pessoa foi imunizada ou das marcas autorizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A última dose tem de ter sido aplicada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Ainda pelas novas regras, estrangeiros e brasileiros que desejarem vir ao Brasil de avião terão que apresentar comprovante de teste negativo para a covid-19 com duas alternativas: ou um exame de antígeno realizado nas 24 horas anteriores ao embarque ou um PCR feito até 72 horas antes da viagem.

As crianças menores de 12 anos viajando acompanhadas não precisarão apresentar o teste negativo. Já aquelas com idades entre 2 e 12 anos que viajarem desacompanhadas deverão realizar o teste como requisito para a viagem.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) havia recomendado a exigência de certificado de vacinação para a entrada no país. A sugestão foi aprovada em novembro.  

Exceções

A norma prevê exceções para a apresentação do certificado de vacinação, como em caso de condição de saúde para a qual a vacinação é contraindicada, pessoas com idades cuja vacinação não foi recomendada e de países com cobertura vacinal baixa, em lista que será elaborada pelo Ministério da Saúde e publicada em seu site.

A portaria abriu brecha para brasileiros e estrangeiros que moram no Brasil e não estejam completamente vacinados, incluindo essas pessoas entre as exceções para a apresentação do cartão de vacinação.

Nessas hipóteses, o viajante deverá fazer quarentena de 14 dias na cidade de destino. Outra exigência para a entrada no país é o preenchimento de um documento com informações denominado declaração de saúde do viajante. As informações das pessoas em quarentena serão encaminhadas aos centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS).

Os tripulantes de aeronaves não precisarão apresentar testes negativos para covid-19. Para esses trabalhadores, a portaria institui um conjunto de protocolos específicos. O governo poderá determinar exceções e tratamentos diferenciados para situações de ajuda humanitária.

Restrições de voos

A portaria também estabeleceu restrição para a vinda de voos com origem ou passagem nos últimos 14 dias pela África do Sul, Botsuana, Essuatíni, Lesoto, Namíbia e Zimbábue, nações com maior ocorrência da variante ômicron.

Transporte terrestre

No caso do transporte rodoviário, também passa a ser exigido o comprovante de vacinação nos pontos de controle terrestre, das vacinas aprovadas no Brasil, no país de imunização do viajante ou pela OMS.

As exceções estabelecidas para o comprovante de vacinação no caso dos voos também são válidas para a entrada por rodovias. Foi acrescida a exceção nas hipóteses e cidades-gêmeas, desde que os brasileiros recebam o mesmo tratamento pelo país vizinho.

Também foram excluídos da obrigação os trabalhadores de transporte de cargas, desde que comprovem a adoção de medidas para evitar o contágio e o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

Agência Brasil