ANP e Sesap fortalecem ações de prevenção ao suicídio no RN

A Associação Norte-Rio-Grandense de Psiquiatria (ANP) e a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) seguem com o fortalecimento das suas ações de prevenção ao suicídio. Neste mês, que é promovido a campanha “Setembro Amarelo”, atos que intensificam a atenção da sociedade com relação as pessoas ao seu redor, são estimulados para trabalhar no cuidado a saúde mental.

De acordo com o vice-presidente da ANP, Ernesto Arcoverde, setembro foi escolhido, pelo fato do dia 10 do mês ser o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Para ele, a falta de informação da população dificulta que precauções sejam tomadas para que os casos não se agravem.

“A desinformação é uma das principais causas de termos dificuldades para prevenir o suicídio. Cerca de 80% são preveníveis. A grande maioria se torna transtornos mentais e conseguimos tratar”, explicou.

O lema da campanha deste ano é “Viver de setembro a setembro”. Em uma das ações de prevenção da Sesap, cartazes e folders foram divulgados e espalhados com dicas para “ajudar, acolher e saber lidar com o outro”.

Conforme dito por Ernesto Arcoverde, a assimilação da população com os “sinais” dados por uma pessoa que esteja em crise, com pensamentos direcionados para o suicídio, é fator de extrema importância para que haja a prevenção e até o tratamento subsequente.

“Mudanças de comportamento, isolamento, faltas no emprego ou na escola e certos tipos de frases ditas, são sinais. Precisamos que as pessoas ao redor percebam e auxiliem as pessoas não as deixando sozinha e levando a um profissional de saúde mental, que poder prevenir de maneira adequada”, contou o vice-presidente da ANP.

Além de orientações, no material de divulgação da campanha produzido pela Sesap, são enumerados cinco dos principais sinais, para facilitar a percepção popular: humor triste, ansiedade ou “vazio” persistente; perda de interesse ou prazer pela vida, por hobbies ou atividades de forma permanente; dificuldade de concentração de lembrança ou de tomada de decisões; pensamentos sobre a morte ou tentativas de suicídio, e diminuição de energia ou fadiga.

Segundo a coordenadora estadual de saúde mental, Ana Eloá, o trabalho contra a prevenção não se resume apenas ao mês de setembro, mas é efetuada ao ano inteiro. Ela afirma que o estado tem trabalhado para que as condições do tratamento e prevenção sejam ampliadas.

“Seguimos sete recomendações de saúde pública para efetuarmos nosso trabalho da melhor maneira. Atualmente, temos 45 Centros de Assistências Psicossocial (Caps), que é uma quantidade boa, mas queremos conseguir ter mais. Estamos também em busca da implantação de leitos para casos de saúde mental na atenção hospitalar. É todo um trabalho”, relatou.

De acordo com Ana Eloá, o projeto “RN + Saudável” irá favorecer este trabalho. Para ela, as circunstâncias de conversa nas escolas e a interação com a esfera da educação, facilitam que o trabalho de saúde mental seja efetuado com maior êxito com relação aos jovens.

“O ‘RN + Saudável’ nos proporcionará conversas mais próximas no âmbito escolar. Em rodas de conversas com alunos e professores, poderemos ter mais efetividade nas ações de prevenção”, concluiu.