O que Garibaldi vinha lendo no vôo 6308

Eram 11h50 (horário de verão brasileiro) do dia 19 de dezembro de 2018. Eu, já embarcado para voltar ao RN, depois de três dias de trabalho em Brasília/DF.

Olhando para a tela do celular vejo um senhor apontar no corredor daquela aeronave do vôo 6308 com destino a Natal/RN. Logo identifiquei que era o senador Garibaldi Filho com uma pasta preta e uma malinha discreta. Procurou um lugar no Bin próximo a sua poltrona, mas não encontrou e precisou colocar no Bin três fileiras depois da fileira marcada para o seu assento. O lugar marcado era a poltrona 01C.

Durante todo vôo Garibaldi Filho leu. E me causou curiosidade, como qualquer outro membro da mídia teria. 
No momento do serviço de bordo, Garibaldi abriu a mesa, fez o pedido e as comissárias o entregaram: um sanduíche e um copo de suco.

Depois que comi o meu, fui ao banheiro. Quando voltei Garibaldi levantou a vista, cumprimentou-me e voltou a ler.

Rapidamente observei que ele lia uma matéria sua de despedida do senado.

Aquela era uma viagem que o senador fazia não para ser diplomado, mais para ver somente o diploma do seu filho Walter Alves que se reelegeu com dificuldades.

Não houve protestos, apenas acenos de alguns embarcados e um papo rápido com um motorista potiguar de um parlamentar paulista, que estava vindo visitar familiares em Currais Novos e conhece o motorista de Garibaldi.

O que Garibaldi lia não era apenas sua despedida mais os comentários da matéria.

Fui ao portal de noticias que tinha postado a matéria e acreditem, não vi muitos comentários de protestos, mais de inciativa para que o que senador volte a cena da politica Potiguar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *