403 Forbidden


nginx/1.10.3

Rafael Motta destina R$ 400 mil para saúde de São José de Mipibu

Rafael Motta destina R$ 400 mil para  saúde de São José de Mipibu

Na noite de ontem, a assessoria do Deputado Federal Rafael Motta, a pedido dele, me comunicou da destinação de R$ 400 mil em emenda para a manutenção de unidades de saúde do município de São José de Mipibu.

Em 2018, Rafael Motta recebeu 415 votos mipibuenses, e saber dessa notícia é saber da importância que Rafael Motta tem pelo povo Potiguar e reconhece a confiança do povo mipibuense.

Ao amigo e presidente do PSB – RN, nossos sinceros agradecimentos pela destinação da emenda para São José de Mipibu.

Os recursos chegam em boa hora.

Ao Senado, Teich diz ser cético sobre cloroquina e não defende fim de isolamento

Ao Senado, Teich diz ser cético sobre cloroquina e não defende fim de isolamento

O ministro da Saúde, Nelson Teich, participou nesta quarta-feira (29) de audiência pública no Senado Federal para explicar as ações de combate à pandemia do novo coronavírus. Questionado por senadores ao longo de mais de cinco horas e meia, o ministro divergiu de algumas posições manifestadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido): se disse cético em relação à hidroxicloroquina e não defende o fim generalizado do isolamento social.

Teich classificou o medicamento, um dos vetores das divergências entre Bolsonaro e o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM), como “uma incerteza”. “Você teve aqueles estudos iniciais que sugeriram benefícios, mas existem estudos hoje que falam o contrário”, disse Teich durante a audiência, que foi realizada por meio de videoconferência.

O presidente Jair Bolsonaro já defendeu o uso do medicamento em mais de um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão. No último realizado, relatou uma conversa com o cardiologista Roberto Kalil, que contraiu a COVID-19 e se tratou utilizando o composto.

Isolamento social

Ao longo da audiência, o ministro foi confrontado por diversos senadores que o questionaram a respeito da segurança de saúde para a flexibilização do isolamento social. Nelson Teich disse ao menos cinco vezes, segundo listagem feita pelo próprio ministro, que essa não é a posição do Ministério da Saúde.

“Quero deixar claro que em momento algum estamos discutindo se vai ter distanciamento ou não, isso já está colocado. A questão é como você vai utilizar. Está sendo colocado como se a gente estivesse defendendo a liberação, mas não é isso. Vamos definir qual o nível de distanciamento e isolamento, mas não que as pessoas vão ficar se agregando de forma descontrolada, já falei isso cinco vezes aqui”.

Respondendo a uma pergunta do senador Jaques Wagner (PT-BA), o ministro disse que a pasta está se limitando a planejar “critérios” para que “haja uma flexibilização no momento certo”. Nelson Teich não deu datas para que isso ocorra e disse que a recomendação só será feita nas regiões e momentos em que os casos estejam caindo. 

“O fato de nós estarmos planejando agora não significa que vamos liberar ou sugerir a flexibilização no momento em que a curva ainda está ascendente”, disse.

Desde que assumiu o cargo, o ministro da Saúde tem defendido “medidas diferentes em diferentes regiões do país”. Na primeira entrevista coletiva realizada pela atual gestão, na segunda-feira (27), o general Eduardo Pazuello, nomeado por Teich para ser seu secretário-executivo, afirmou que as medidas de isolamento deveriam ser tidas como exceção.

“Onde pode produzir e trabalhar, com as medidas preventivas necessárias e verificadas, assim tem que ser. Onde precisa ter ainda algum grau de isolamento, algum grau de distanciamento social, precisa ter também. Muito especificamente para cada lugar”, afirmou Pazuello na oportunidade.

Alinhamento

A argumentação do presidente Jair Bolsonaro a esse respeito também tem sido mais alinhada ao que disse o general e secretário-executivo do que à postura do ministro da Saúde. Bolsonaro afirma que as medidas neste sentido adotadas por governadores e prefeitos estão sendo danosas para a economia e que a volta ao trabalho deveria ser acelerada no país.

O ministro Nelson Teich afirmou aos senadores que está “alinhado” com o presidente. Segundo ele, o alinhamento se deve à “preocupação do presidente com as pessoas e a sociedade”.

“O presidente está preocupado com as pessoas, ele está preocupado com a sociedade, não vou discutir comportamento. Mas eu posso dizer que ele está preocupado”, afirmou. Durante a audiência, diversos senadores criticaram a fala do presidente de que lamentava o número ascendente de mortes pela COVID-19 no país, mas que não havia algo que ele pudesse fazer.

Número de mortes no RN por Covid-19 sobe para 54 e casos confirmados já somam 1.086

O número de mortos no Rio Grande do Norte aumentou e chegou a 54, de acordo com a Secretaria de Saúde Pública do Estado (Sesap). Os casos confirmados também cresceram de forma expressiva: são 1.086. É o pior dia da pandemia no RN, com 229 novos casos confirmados e 6 óbitos a mais.

Os casos suspeitos já são 4.730, além de 3.619 descartados. Os recuperados somam 352. Nove óbitos estão em investigação. Alto do Rodrigues, no Vale do Açu, confirmou a primeira morte por Covid-19, de acordo com a Sesap. Agora, 22 municípios do RN registram óbitos por causa da doença.

Mossoró é a cidade do estado com mais mortes (13), seguida de Natal (12).

Mortes

As mortes no RN foram registradas nas seguintes cidades:

  • Mossoró: 13 mortes
  • Natal: 12 mortes
  • Canguaretama: 3 mortes
  • Assu: 2 mortes
  • Tenente Ananias: 2 mortes
  • São Gonçalo do Amarante: 2 mortes
  • Ceará-Mirim: 2 mortes
  • Parnamirim: 3 mortes
  • São José de Mipibu: 1 morte
  • Macaíba: 1 morte
  • Nísia Floresta: 2 mortes
  • Carnaúba dos Dantas: 1 morte
  • Cerro Corá: 1 morte
  • Taipu: 1 morte
  • Lagoa de Pedras: 1 morte
  • Apodi: 1 morte
  • Encanto: 1 morte
  • Touros: 1 morte
  • São Rafael: 1 morte
  • Alexandria: 1 morte
  • Ipanguaçu: 1 morte
  • Alto do Rodrigues: 1 morte

Total: 54 mortes

Arlindo publique novo decreto com determinações concretas

Arlindo publique novo decreto com determinações concretas

O prefeito Alindo Dantas, precisa decretar imediatamente medidas que impeçam a disseminação do vírus em São José de Mipibu, pois ou o senhor toma medidas concretas para combater a COVID-19 no nosso municipio ou a história julgará o seu posicionamento que parece está mais preocupado com as eleições de 2020, que a saúde do povo mipibuense.

Já apresentamos aqui senhor prefeito, as ações concretas que precisam ser realizadas no nosso município. O senhor precisa mudar de ideia e realizar as seguintes ações: notificação a toda população, barreiras sanitárias nos principais acessos ao município, fiscalização em agências bancárias, dentre outras.

Desde o dia 14 de abril de 2020, apresentamos aqui as ações que precisam ser tomadas e como ainda não foram, os números só aumentam e já conta com o registro de um óbito.

Não custa nada publicar um novo decreto e incluir dentre as ações o uso obrigatório de mascarás.

Norma Ferreira se reúne com pré-candidatos a vereadores do PL

Norma Ferreira se reúne com pré-candidatos a vereadores do PL

A pré-candidata a prefeita Norma Ferreira – PL, reuniu-se hoje com os seus pré-candidatos a vereadores, de forma virtual, para falar sobre a COVID-19.

Inicialmente, Norma explicou que está utilizando a modalidade virtual em respeito aos decretos executivos e a saúde de todos.

Na reunião, buscou-se colher informações de como estão sendo realizadas as ações, voltadas ao combate da pandemia, nas comunidades do município de São José de Mipibu.

A pré-candidata a prefeita Norma Ferreira – PL, é a pioneira em utilizar ferramentas virtuais para reunir pré-candidatos a vereadores.

Norma e Kerinho: quem pular fora estará em função da situação

Norma e Kerinho: quem pular fora estará em função da situação

Você vota em mim? Voto. Você vota em mim? Voto.

Foi com esse questionamento e afirmação que Norma e Kerinho oficializaram a união da oposição mipibuense para o pleito de 2020.

Como gosto de analisar os fatos, percebo que Norma Ferreira continua firme e forte com a união da oposição, porém, o progressista Kerinho parece está pisando na bola e tenta a todo custo passar por cima de seu deputado Kleber Rodrigues, bem como, dos seus seguidores que não aceitam votar no candidato da situação.

É importante destacar que Norma e Kerinho afirmaram votar um no outro, firmado o compromisso de se unirem, definindo a função de cada um na chapa, conforme as estatísticas, porém, quem pular fora do barco depois daquele vídeo é nítido que está trabalhando em favor da situação.

Trocando em miúdos, se Kerinho ou Norma pular fora e não cumprir o “você vota em mim? voto!”, estará sob o comando do grupo de Arlindo Dantas, mesmo que seja candidato nas próximas eleições.

Relembre o vídeo.

https://www.instagram.com/p/B81w6qHlayT/?igshid=jbl97lilllv6

Casos da COVID-19 estão concentrados em 4 localidades

Casos da COVID-19 estão concentrados em 4 localidades

Segundo o Boletim Epidemiológico 33/2020 da Secretaria Municipal de Saúde de São José de Mipibu do dia 24 de abril de 2020, até às 21h, os casos confirmados da COVID-19, estão concentrados em 4 localidades do município: Centro, CAIC, Rocinha e Laranjeiras dos Cosmes.

O Blogue do JL, gerou um mapa no Google Maps, para mostrar a região do município que concentra os casos da COVID-19. Veja abaixo.

Gerado no Google Maps pelo Blogue do JL
Gerado no Google Maps pelo Blogue do JL

Segundo o boletim divulgado, São José de Mipibu está em um campo minado, conforme comentamos aqui na semana passada. Já são:

  • 61 casos notificados
  • 16 suspeitos
  • 37 descartados
  • 8 confirmados
  • 2 recuperados
  • 0 óbitos

Enfim, precisamos saber quando o governo Arlindo e Zé vão divulgar o plano de contingência para a COVID-19.

Aos defensores, não fechem os olhos!

Secretaria de Saúde usa de forma superficial as redes sociais para divulgar casos da COVID-19

Secretaria de Saúde usa de forma superficial as redes sociais para divulgar casos da COVID-19

Questionei o secretário de Saúde do município de São José de Mipibu, para saber por que o boletim epidemiológico é divulgado em todos os canais de comunicação ligados a prefeitura, menos na rede social Instagram.

No perfil do Instagram da secretaria municipal de saúde, divulga superficialmente algumas ações, porém, o boletim epidemiológico não está sendo divulgado no feed.

Chama a atenção, que depois que questionamos o Secretário de Saúde de São José de Mipibu, sobre tal assunto o mesmo falou que divulga nos stories, ou seja, a informação fica disponível apenas 24 horas, conforme regra da rede social. Destaco que o boletim só foi divulgado 3 minutos depois que nós questionamos o secretário, mais este mesmo boletim foi do dia 22 de abril de 2020, às 20h.

Chama mais atenção ainda, que às 10h56 minutos da sexta-feira 24 de abril, o perfil do Instagram era privado, ou seja, precisava de prévia autorização do administrador. Porém, pela resposta do secretário, nem ele sabia que o perfil estava privado e parece ter visto que, o que era para ser público, estava privado e agora está público.

Enfim, o Governo Arlindo Dantas não está sabendo desenvolver os trabalhos essenciais na saúde, para pelo menos conter a pandemia. Até o momento, ou seja, pelo Boletim Epidemiológico que chegou até a nossa redação por volta das 22h do dia 24 de abril, é que, em São José de Mipibu, já temos 8 casos confirmados para COVID-19.

Sem mais, só tenho a dizer que o Governo Arlindo e Zé chegou ao fim, antes de findar o mandado.

PS: Acho que vou ter que ensinar como gastar os 900 mil reais que Bolsonaro enviou para Mipibu conter a pandemia.

A nossa conversa com o Secretário de Saúde do município de São José de Mipibu, foi através do aplicativo de mensagens Whats APP.

Ao anunciar demissão, Moro diz que Bolsonaro queria mexer na PF para ter acesso a relatórios de inteligência

Ao anunciar demissão, Moro diz que Bolsonaro queria mexer na PF para ter acesso a relatórios de inteligência

Ao anunciar sua demissão do governo federal nesta sexta-feira (24), o ministro Sergio Moro (Justiça) criticou a “insistência” do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para a troca do comando da Polícia Federal, sem apresentar causas que fossem aceitáveis. Disse ainda que Bolsonaro queria ter acesso a informações e relatórios confidenciais de inteligência da PF. “Não tenho condições de persistir aqui, sem condições de trabalho.” E disse que “sempre estará à disposição do país”.

“Não são aceitáveis indicações políticas.” Moro falou em “violação de uma promessa que me foi feita inicialmente de que eu teria uma carta branca”. “Haveria abalo na credibilidade do governo com a lei”.

Moro disse ter o dever de proteger a instituição da PF, por isso afirmou ter buscado uma solução alternativa para o comando da corporação, o que não conseguiu. “Fiquei sabendo pelo Diário Oficial, não assinei esse decreto.” O agora ex-ministro disse que isso foi algo “ofensivo” e que “foi surpreendido”. “Esse último ato foi uma sinalização de que o presidente me quer fora do cargo.”

Ele enalteceu seu papel na busca pela autonomia da Polícia Federal e destacou essa característica da corporação nos governos dos ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT.

Moro destacou a autonomia da PF nas gestões federais do PT, mesmo com “inúmeros defeitos” e envolvimentos em casos de corrupção. Relembrou promessa de “carta branca” recebida pelo então presidente eleito Jair Bolsonaro para nomear todos os assessores, inclusive na Polícia Federal.

O ex-juiz da Lava Jato disse que nunca houve condição para ser ministro em troca de indicação para uma vaga de ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). A ideia, segundo Moro, era buscar um nível de formulação de políticas públicas, de aprofundar o combate à corrupção e levar maior efetividade em relação à criminalidade violenta e ao crime organizado.

Moro diz que somente colocou uma condição a Bolsonaro para que assumisse o cargo. “Se algo me acontecesse, uma pensão para a família.” No cargo, Moro cuidava também da segurança pública.

“Me via, estando no governo, como um garantidor da lei e da imparcialidade e autonomia destas instituições”, afirmou o ministro, em seu pronunciamento.

Em sua fala, Moro lamentou sua saída em meio à pandemia do coronavírus, com centenas de mortes no país, enalteceu sua carreira como juiz federal com atuação na Operação Lava Jato de Curitiba.

Moro decidiu entregar o cargo nesta sexta-feira (24) e deixar o governo após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, ter sido publicada nesta madrugada no Diário Oficial da União.