MP abre inquérito para apurar disponibilidade de oxigênio no RN; Sesap garante abastecimento

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) abriu um inquérito civil para averiguar o abastecimento e fornecimento de oxigênio e gases medicinais aos hospitais da rede pública do estado durante a pandemia da Covid-19. A portaria, assinada pela promotora Iara Maria Pinheiro de Albuquerque, foi publicada nesta quarta-feira 3.

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) garantiu que o Rio Grande do Norte está com todos os leitos das unidades hospitalares devidamente abastecidos com oxigênio, suficiente para a atual capacidade. Segundo a Sesap, o estado dispõe de tanques de oxigênio nos hospitais e, desta forma, uma empresa contratada faz a reposição dos cilindros.

De acordo com a pasta, a previsão de consumo para a demanda normal para os hospitais e outras unidades da rede da Sesap é de aproximadamente 200 mil metros cúbicos por mês. Ainda não houve crescimento da demanda por oxigênio no estado.

O RN não tem planta industrial para a produção do oxigênio, o abastecimento vem por meio das plantas de Pernambuco e do Ceará. Segundo a Sesap, o abastecimento e o fornecimento de oxigênio está confortável.

O inquérito do MPRN tem caráter preventivo e vem após a crise no abastecimento de oxigênio hospitalar em Manaus, capital amazonense. Pacientes manauaras foram transferidos para o RN nos últimos dias para tratar a Covid-19.

De acordo com informação da empresa White Martins, fornecedores dos gases medicinais para os hospitais e outras unidades da rede da Secretaria, a situação geográfica do RN é mais favorável à logística do abastecimento, diferente de Manaus e, por isso, estaria numa condição de mais estabilidade para o fornecimento, mesmo com algum acréscimo de consumo.

AgoraRN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *