Olimpíada: Alison dos Santos é bronze nos 400 m com barreiras

O brasileiro Alison dos Santos conquistou a medalha de bronze na prova dos 400 metros (m) com barreiras da Olimpíada de Tóquio (Japão), na noite desta segunda-feira (2) no Estádio Olímpico.

Essa foi a primeira medalha do atletismo do Brasil na atual edição dos Jogos Olímpicos. O paulista de 21 anos cravou o tempo incrível de 46s72, quebrando o recorde sul-americano e baixando pela primeira vez a marca de 47 segundos.

O ouro ficou com o norueguês Karsten Warholm, que quebrou o recorde mundial fechando a prova, pela primeira na história, em menos de 46 segundos (45s94). O norte-americano Rai Benjamin ficou com a prata com a marca de 46s17.

“Foi uma prova louca, uma prova muito forte, uma prova histórica onde fizeram o que achavam que era impossível, quebrar a barreira dos 46s. Três atletas correram abaixo de 47s, a prova mais rápida da história, e fico muito feliz por fazer parte disso”, declarou Alison dos Santos, após a prova, ao Comitê Olímpico do Brasil.

Ouro de Ítalo Ferreira na Olimpíada aquece comércio de Baía Formosa

A vitória do surfista Ítalo Ferreira nos Jogos de Tóquio não rendeu ao Brasil apenas a primeira medalha de ouro da modalidade em Olimpíadas, mas também ajudou a reaquecer o comércio na região onde ele nasceu.

O ganhador do primeiro ouro olímpico do surfe voltou para o município litorâneo de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, logo após a conquista no Japão, atraindo turistas e jornalistas para sua cidade natal.

Proprietária de um hotel e um restaurante na cidade de cerca de 9 mil habitantes, Cintia Santos sofreu com a falta de clientes devido à crise da Covid-19, mas se surpreendeu com um salto na demanda após a medalha do surfista em Tóquio. Segundo ela, a pousada agora está lotada e seu restaurante tem até fila de espera.

“Está sendo um grande sucesso para a cidade”, disse. “Passamos por bastante dificuldades na pandemia, a cidade realmente vive do turismo, ficou parada por um bom tempo, mas agora a gente deu uma alavancada.”

O mesmo aconteceu com o empresário Rafael Alves, morador da região. Com sua gráfica desativada há quase um ano, o estabelecimento voltou a funcionar após a conquista do ouro olímpico por Ítalo.

“A ficha ainda não caiu”, disse o empresário, que já vendeu mais de 300 camisetas com o rosto do atleta. “Trouxe tudo e vai trazer muito mais”, disse ele em relação ao aumento da procura por bens e serviços na cidade.

O surfista de 27 anos, que retornou a Baía Formosa na semana passada, comemorou o impacto da conquista no comércio local. “É legal porque isso ajuda a economia da cidade, o financeiro, ajuda aqueles locais que têm restaurante, as pessoas que dependem disso”, disse.

CNN Brasil

TSE abre inquérito para apurar acusações de supostas fraudes nas urnas e pede para STF investigar Bolsonaro

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou nesta segunda-feira (2), por unanimidade, a abertura de um inquérito administrativo sobre ataques à legitimidade das eleições.

O inquérito irá investigar crimes de corrupção, fraude, condutas vedadas, propaganda extemporânea, abuso de poder político e econômico na realização desses ataques.

O plenário do TSE também aprovou, com votação unânime, um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o presidente Jair Bolsonaro seja investigado no inquérito que apura a disseminação de fake news.

O pedido de apuração é baseado nos constantes ataques, sem provas, feitos pelo presidente da República às urnas eletrônicas e ao sistema eleitoral do país.

Bolsonaro passou os últimos dois anos e meio afirmando que houve fraudes nas eleições de 2018. Nunca apresentou provas. Na semana passada, chegou a convocar uma transmissão ao vivo para apresentar o que seriam as supostas provas, mas na ocasião admitiu não ter provas.

As medidas foram aprovadas na sessão que marcou a retomada dos trabalhos do Tribunal Superior Eleitoral após o recesso de julho. Presidente da Corte, o ministro Luís Roberto Barroso afirmou que ameaçar a realização de eleições é uma “conduta antidemocrática”.

Ao apresentar seu apoio à proposta de inquérito administrativo, o ministro Alexandre de Moraes ressaltou que “com a democracia não se brinca, não se joga”.

G1

Martine Grael e Kahena Kunze velejam até o ouro e são bicampeãs das Olimpíadas

Cinco anos depois da Baía de Guanabara, foi a vez de a ilha de Enoshima, no Japão, ser o palco da medalha de ouro das velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze.

A dupla brasileira conquistou o bi olímpico em Tóquio-2020, nesta terça-feira (3), na regata final da categoria 49er FX, após a prova ter sido adiada em um dia por questões meteorológicas.

As velejadoras terminaram a regata decisiva em terceiro, o suficiente para o título depois de 12 regatas na semana. Alemãs (prata) e holandesas (bronze) completaram o pódio.

Fux manda recado pra Bolsonaro: independência entre Poderes não significa impunidade

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, mandou duros recados ao presidente Jair Bolsonaro em seu discurso nesta segunda-feira (2) na sessão de abertura dos trabalhos da corte no segundo semestre. As informações são da agência de notícias Folhapress.

O chefe do tribunal, mesmo sem citar o momento presidente, afirmou que a harmonia e a independência entre os Poderes “não implicam em impunidade de atos que exorbitem o necessário respeito às intituições”.

“Embora diuturnamente vigilantes para com a democracia e as instituições do país, os juízes precisam vislumbrar o momento adequado para erguer a voz diante de eventuais ameaças”, disse.

Bolsonaro, ministro da Justiça e participantes de live contra as urnas eletrônicas serão chamados para depor no TSE

A corregedoria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve começar já nesta terça (3) os trabalhos no inquérito aberto nesta segunda (2) como resposta às falas do presidente Jair Bolsonaro.

O foco são os ataques feitos contra as urnas eletrônicas e possíveis ameaças às eleições do próximo ano.

O órgão deve começar chamando para depor os participantes da live da última quinta (29), incluindo o presidente e seu ministro da Justiça, Anderson Torres. A investigação pode levar à inelegibilidade dos que atentam contra o sistema eleitoral. Com informações da coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

Novo presidente nacional do PP, partido cortejado por Bolsonaro, é aliado de Flávio Dino

Alçado de forma interina à presidência nacional do PP com a nomeação de Ciro Nogueira (PP) para a Casa Civil do governo Bolsonaro, o deputado federal André Fufuca (PP-MA) é aliado de primeira hora do governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB).

O partido, que tem sido cortejado pelo presidente Jair Bolsonaro, indicou o titular da secretaria de Meio Ambiente do Maranhão.

O jogo duplo acontece em quatro estados do Nordeste, onde o PP se divide entre o apoio a Bolsonaro nacionalmente e a partidos de esquerda localmente.

Painel

Barroso e ex-presidentes do TSE divulgam nota em defesa do modelo de eleições do Brasil

Ex-presidentes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desde 1988 divulgaram nesta segunda-feira (2) uma nota em defesa do modelo de eleições no Brasil.

A nota também é assinada pelo atual presidente do TSE, ministro Luis Roberto Barroso, e pelo vice, Edson Fachin.

A manifestação do atual e dos ex-presidente do TSE ocorre em um momento em que o presidente da República, Jair Bolsonaro, decidiu colocar em dúvida as urnas eletrônicas. O próprio Bolsonaro já admitiu que não tem provas, mas mesmo assim tenta emplacar o voto impresso.

Na nota, os ministros ressaltam que a volta da contagem manual seria um regresso a um cenário de “fraudes generalizadas”.

“A contagem pública manual de cerca de 150 milhões de votos significará a volta ao tempo das mesas apuradoras, cenário das fraudes generalizadas que marcaram a história do Brasil”, afirma um trecho do texto.

A nota lembra ainda que a urna eletrônica é usada nas eleições desde 1996 e nunca houve fraude.

“Jamais se documentou qualquer episódio de fraude nas eleições. Nesse período, o TSE já foi presidido por 15 ministros do Supremo Tribunal Federal. Ao longo dos seus 25 anos de existência, a urna eletrônica passou por sucessivos processos de modernização e aprimoramento, contando com diversas camadas de segurança”, dizem os ministros.

Os ex-presidentes do TSE e a atual cúpula da Corte ressaltaram que o voto eletrônico é, sim, auditável, ao contrário do que prega Bolsonaro a seus aliados.

“As urnas eletrônicas são auditáveis em todas as etapas do processo, antes, durante e depois das eleições. Todos os passos, da elaboração do programa à divulgação dos resultados, podem ser acompanhados pelos partidos políticos, Procuradoria-Geral da República, Ordem dos Advogados do Brasil, Polícia Federal, universidades e outros que são especialmente convidados. É importante observar, ainda, que as urnas eletrônicas não entram em rede e não são passíveis de acesso remoto, por não estarem conectadas à internet.”

Íntegra

Veja a íntegra da nota:

Nota pública

Consulte mais informação