Vacinas para crianças de 5 a 11 anos do RN serão distribuídas e imunização deve começar neste sábado (15)

A imunização das crianças de 5 a 11 anos de idade tem previsão de iniciar amanhã (15) no Rio Grande do Norte. O estado tem hoje 350 mil crianças nessa faixa etária e receberá do Ministério da Saúde 20.900 doses do imunizante da Pfizer, específico para a vacinação dos menores. Por ser um quantitativo baixo, em relação ao público, a orientação é que inicie com crianças com comorbidades e com deficiência.

Como comorbidades entende-se crianças com cardiopatia crônica, pneumopatia crônica, imunodepressivos, doença renal crônica, asma, doença neurológica crônica, doença hepática crônica, síndrome de Down, doença hematológica crônica, Diabetes Mellitus e obesidade.

A previsão é que as doses sejam distribuídas para todas as regionais de saúde às 15h desta sexta feira (14). O MS sinalizou que serão enviados lotes a cada semana. “Está em curso a capacitação das equipes para a aplicação e manejo das vacinas nas crianças. Esse processo é essencial para que a aplicação seja segura”, disse Laiane Graziela coordenadora de Imunização da Sesap.

Os pais ou responsáveis devem estar presentes manifestando sua concordância com a vacinação e além disso, é importante que seja feito o cadastro da criança como dependente na plataforma RN+ Vacina (https://rnmaisvacina.lais.ufrn.br/cidadao/covid/).

Em caso de ausência de pais ou responsáveis, a vacinação deverá ser autorizada por um termo de assentimento por escrito.

93% das cidades do Brasil registram alta de casos gripais, destaca pesquisa

O aumento de casos de Covid-19, em função do avanço variante Ômicron, e o surto de Influenza no Brasil atingiram praticamente todos as regiões do país.

Um levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), divulgado nesta sexta-feira (14), sinaliza que 93,9% das cidades brasileiras registram aumento ‘preocupante’ de pessoas com síndrome gripal nas últimas semanas. Os dados foram compilados entre 10 e 13 de janeiro, a partir da resposta de 1,8 mil prefeituras.

Apesar do surto de Influenza também ter causado um aumento de casos gripais, foi a nova variante da Covid-19 que mais afetou as cidades brasileiras. Segundo a pesquisa, 83% dos municípios do país garantem que as contaminações por coronavírus cresceram nas últimas três semanas.

Já quando perguntadas sobre os casos de gripe H3N2, 61% afirmam que os contágios também aumentaram, enquanto 28% dizem que não.

Por fim, a pesquisa também mostra que o aumento de casos de Covid-19 já impacta a rede de saúde de pelo menos 25% dos municípios brasileiros. Segundo o levantamento da CNM, uma em cada cinco cidades do país já apresentam estoque baixo de testes rápidos para a detecção do novo coronavírus.

O mesmo acontece com os medicamentos usados para combater a gripe H3N2. O estudo revela que os dois principais remédios utilizados para o tratamento de Influenza, Oseltamivir e Tamiflu, estão em falta em quase 30% das cidades do país.

CNN Brasil

Entrega de primeiras doses de vacina contra covid-19 para crianças atrasa no RN

O Rio Grande do Norte não recebeu as primeiras doses de vacinas das Pfizer contra Covid-19 para o público infantil que eram esperadas para a madrugada desta sexta-feira (14). A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde.

O Ministério da Saúde havia anunciado que o lote chegaria à capital potiguar em um voo às 2h, o que não aconteceu. Outros estados também confirmaram atraso, como Minas Gerais e Espírito Santo.

No início da manhã, a Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande informou que recebeu uma nova programação do ministério, com previsão de chegada das vacinas para 10h40.

O estado deverá receber 20,9 mil doses para dar início à campanha de imunização do público de 5 a 11 anos de idade. O estado tem cerca de 350 mil pessoas nessa faixa etária. Por isso, a imunização deve começar pelas crianças com comorbidades.

O primeiro carregamento da fabricante Pfizer voltado para o público infantil, com 1,2 milhão de doses, chegou ao país na madrugada de quinta-feira (13), no aeroporto de Campinas, em São Paulo.

A previsão da Secretaria Estadual de Saúde é que, após a distribuição aos municípios, a imunização do público seja iniciada na próxima segunda-feira (17) no estado.

Ainda de acordo com o governo estadual, o Ministério da Saúde ainda deverá lançar uma nova nota técnica com detalhando as especificações sobre o público que será priorizado.

g1 RN

Ministro diz que vacinação infantil contra covid-19 será monitorada

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse hoje (13) que a campanha de imunização infantil contra covid-19 será monitorada para identificar possíveis reações adversas às vacinas. No entanto, o ministro ponderou que a vacina da Pfizer já foi aplicada em milhões de crianças em outros países e não tem apresentado problemas.

Chegaram hoje (13) no Aeroporto de Viracopos, no interior paulista, 1,24 milhão de doses da vacina contra a covid-19 para crianças do laboratório norte-americano Pfizer. O carregamento é o primeiro de três lotes que devem chegar ao Brasil até o fim do mês. Até o fim de março, o governo federal espera receber 20 milhões de doses de vacinas pediátricas.

A aplicação do imunizante da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos foi autorizada em dezembro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O governo federal incluiu, na semana passada, o público dessa faixa etária na campanha de vacinação contra a covid-19.

Queiroga destacou que, apesar de recentes, essas vacinas têm sido aplicadas nos principais sistemas de saúde do mundo. “Essa aplicação começou no mês de novembro, sobretudo nos Estados Unidos. Mais de 8 milhões de doses foram aplicadas nos Estados Unidos, nas crianças de 5 a 11 anos, e não têm sido notificados eventos adversos maiores. Portanto, até o que sabemos, no momento, existe segurança atestada não só pela Anvisa, mas por outras agências regulatórias, para aplicação dessas vacinas”, disse, ao receber o primeiro lote de vacinas contra a covid-19 para crianças, no centro do distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos (SP).

Variantes

Queiroga também destacou que a vacinação dos brasileiros contra a covid-19 deixa o país preparado para enfrentar a variante Ômicron do coronavírus e outras que possam surgir no futuro. “Países que estão fortemente vacinados, como o Brasil, tem mais possibilidades, de passar pela variante Ômicron e outras variantes que surjam desse vírus que tem uma grande capacidade de gerar mutações”, afirmou.

Redução de mortes e internações

Queiroga destacou a importância da vacinação para evitar internações e agravamento da doença. “Aqueles que se internam nos hospitais e nas unidades de terapia intensiva, a grande maioria são de indivíduos não vacinados”, enfatizou. “Nós assistimos no Brasil, nos últimos seis meses, queda muito significativa de óbitos, fruto das políticas públicas e da campanha de vacinação”, acrescentou.

Por isso, o ministro pediu para aqueles que ainda não tomaram a segunda dose ou a de reforço para que procurem os pontos de imunização. “É necessário reafirmar a orientação para aqueles que não tomaram a segunda dose ou a dose de reforço, que procurem a sala de vacinação para completar o esquema de vacinal”, ressaltou.

Veja transmissão da TV Brasil:

Vacinas para crianças do RN chegarão na madrugada desta sexta-feira (14)

A governadora Fátima Bezerra foi às redes sociais informar que as vacinas contra a covid para crianças de 5 a 11 anos do Rio Grande do Norte chegam ao estado às 2h da sexta-feira (14). Ela não confirmou, contudo, o momento para o início da imunização.

Um lote com 1,2 milhão de doses da vacina pediátrica chegou ao Brasil às 4h45 desta quinta-feira (13).A remessa do imunizante da Pfizer foi descarregada no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (São Paulo), e será distribuída aos estados. A expectativa é que o Rio Grande do Norte receba 20,9 mil doses do imunizante para iniciar a vacinação do público.

“Seguimos acompanhando (a chegada das vacinas) para iniciarmos a imunização o quanto antes”, disse a governadora Fátima Bezerra.

Assim como ocorreu nos demais momentos da pandemia, as vacinas serão distribuídas pelo Governo do Estado aos municípios, que têm a responsabilidade de fazer a aplicação dos imunizantes na população, definindo a logística.

Tribuna do Norte